TRADER PERDEU 50 MILHÕES DE DÓLARES

Navinder Singh Sarao, o homem apelidado de “Flash Crash Trader”

Em 20 de abril de 2015, o homem de 36 anos, foi preso, alvo de 22 acusações de fraude e manipulação de mercado que somavam pena máxima de 380 anos.

Segundo o governo do EUA, o day trader britânico tinha ganho dezenas de milhões de dólares por meio de uma prática ilegal chamada spoofing, inclusive, fatalmente, na manhã de 6 de maio de 2010, quando o Dow Jones Industrial Average caiu quase 1.000 pontos em minutos e se recuperou em seguida.

O grau de culpabilidade de Sarao no chamado flash crash, ou colapso relâmpago, é fortemente questionado, mas o incidente expôs as bases instáveis nas quais os mercados financeiros, hiper-rápidos, atualmente se sustentam.

A carreira de Sarao em trading começou sem grandes expectativas em 2002 na Futex, uma empresa incipiente que operava em um escritório sem glamour, localizado a uma hora do centro financeiro de Londres, e que reunia aspirantes a traders em troca de até 50 por cento de seus ganhos. Em uma sala repleta de recém-formados da faculdade e de nômades, Sarao se destacou.

Foi só quando deixou a Futex, em 2008, e passou a trabalhar por conta própria que Sarao começou a ganhar dinheiro de verdade.

Declarações públicas mostram que seus ativos deram um salto de 461.000 libras para 14,9 milhões de libras no período de 12 meses que terminou em junho de 2009, muito antes de ele recrutar um programador para construir um sistema que, segundo as autoridades, foi desenvolvido para fraudar o mercado.

Onde está o dinheiro, Nav, queriam saber seus advogados. Sarao não poderia pagar a fiança, perceberam pouco a pouco, porque a maior parte de sua riqueza estava presa em investimentos e trusts no exterior, cada um mais complicado que o outro.

Quando foi preso, em abril de 2015, Sarao tinha cerca de US$ 50 milhões presos em investimentos ao redor do mundo, segundo pessoas com conhecimento do assunto, que até agora não têm certeza se está tudo contabilizado.

Foi apenas quando seus advogados tentaram recuperar os recursos que ele foi forçado a enfrentar até a possibilidade de que o dinheiro tivesse sumido.

Em novembro do ano passado, após uma malsucedida tentativa de extradição, Sarao voou para Chicago, onde se declarou culpado de uma acusação de fraude eletrônica e de outra de spoofing, que envolve a apresentação de propostas ou ofertas com a intenção de cancelá-las antes que sejam executadas.

Ele foi condenado a pagar US$ 38,4 milhões à CFTC e ao Departamento de Justiça dos EUA, que determinou que, do dinheiro que ele ganhou com day trading, apenas US$ 12,8 milhões foram obtidos com fraudes ao mercado.

Sarao deverá descobrir a extensão de uma possível pena de prisão ainda neste ano. Ele recebeu permissão para voltar para Hounslow até a decisão sair. Lá, está proibido de fazer trading e, apesar de ter quase 40 anos, foi colocado sob os cuidados do pai.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *